Escovação com dentifrícios branqueadores é tema de estudo de doutoranda da SLMANDIC

Escovação com dentifrícios branqueadores é tema de estudo de doutoranda da SLMANDIC

Avaliar a cor, a rugosidade da superfície e a microdureza do esmalte do dente escurecido e então submetido à escovação com dentifrícios branqueadores. Essa foi a intenção da aluna Isabel Cristina Gavazzoni Bandeira de Andrade, em sua tese de Doutorado na São Leopoldo Mandic.

No estudo, intitulado “Avaliação da cor, rugosidade de superfície e microdureza do esmalte dental submetido à escovação com dentifrícios branqueadores” e orientado pela Profa Dra Fabiana Mantovani Gomes França, fragmentos dentais escurecidos foram submetidos à escovação com diferentes cremes dentais branqueadores. As amostras foram divididas em 7 grupos: controle (sem escovação), escovação sem dentifrício (apenas com água), escovação com dentifrício convencional (Colgate Máxima Proteção Anticáries, Colgate-Palmolive), escovação com dentifrício branqueador contendo peróxido de hidrogênio a 2% (Colgate Luminous White Advanced, Colgate-Palmolive), escovação com dentifrício branqueador contendo tripolifosfato de sódio (Sensodyne True White, GlaxoSmithKline), escovação com dentifrício branqueador contendo carvão ativado (Black is White, Curaprox Trybol AG) e escovação com dentifrício branqueador contendo blue covarine (Close up White Now, Unilever).

Foram realizados 1.000 e 30.000 ciclos de escovação, exceto para o grupo controle, a fim de simular o uso dos cremes dentais na cavidade bucal. Os valores da cor, da rugosidade de superfície e da microdureza do esmalte dental foram registrados em 4 momentos: baseline, após escurecimento, 1.000 e 30.000 ciclos de escovação. Para a análise da cor, foi utilizado o espectrofotômetro. Para leitura da rugosidade média utilizou-se o rugosímetro e, para microdureza Knoop, o microdurômetro.

Os dentifrícios branqueadores causaram alteração de cor maiores que a percebida com o dentifrício convencional ou com a escovação sem dentifrício. Entretanto, não ocorreram mudanças significativas de cor quando os dentifrícios branqueadores foram comparados entre si. Houve: maior luminosidade associada aos dentifrícios contendo peróxido de hidrogênio e carvão ativado, e clareamento dos tons de amarelo quando escovado com o dentifrício contendo peróxido de hidrogênio; para os tons de vermelho, os dentifrícios branqueadores tiveram desempenho similar.

E os dentifrícios convencionais, contendo blue covarine, carvão ativado e peróxido de hidrogênio causaram aumento estatisticamente significativo na rugosidade, após o último ciclo de escovação, sendo o maior valor de rugosidade associado aos dentifrícios convencional e blue covarine. Já o dentifrício contendo tripolifosfato de sódio causou redução progressiva na rugosidade.

Os resultados da microdureza mostraram aumento estatisticamente significativo, após 30.000 ciclos, para os dentifrícios convencional, blue covarine e peróxido de hidrogênio.

Concluiu-se que a utilização de dentifrícios branqueadores alterou a cor das amostras, constatando-se clareamento, não provocou efeitos deletérios na microdureza, e ocasionou discretas alterações na rugosidade superficial. O dentifrício peróxido de hidrogênio teve o melhor desempenho, considerando eficácia e segurança, quando avaliados, juntamente, os parâmetros cor, microdureza e rugosidade.

Sem Comentários

Deixe um comentário

X