Faculdade São Leopoldo Mandic marca presença em eventos de odontologia que estão sendo realizados de forma virtual

Faculdade São Leopoldo Mandic marca presença em eventos de odontologia que estão sendo realizados de forma virtual

Devemos evitar aglomerações, mas não podemos parar o aprendizado e, muito menos, as ações voltadas à saúde. Pensando nisso, eventos da área de Odontologia têm sido realizados no formato on-line. E a SLMANDIC está sempre marcando presença, tanto pelo peso do nome da Instituição, incluindo a importância de suas pesquisas, como pela experiência de seus professores.

Nos dias 3 e 4 de junho foi a vez da I Reunião On-line de Odontologia e COVID-19, voltada aos estudantes e profissionais da área, de todo o País. O encontro teve mais de 3 mil inscritos, e o Prof. Dr. Victor Montalli foi quem representou a Faculdade na ocasião, com a palestra de abertura ‘Biossegurança em odontologia: o que mudou? ’, assunto mais que pertinente para o período. Confira, a seguir, um pouco do que ele abordou.

Preocupação do momento

Segundo Montalli, o que preocupa, de fato, é o que esse vírus está causando no planeta. De acordo com dados atualizados em 3 de junho, já foram 6.272.098 casos, sendo que 379.044 pessoas vieram a óbito, globalmente falando. “O Brasil, infelizmente, virou o epicentro mundial, com mais de 30 mil mortes”, lamenta Montalli.

E ele acrescenta: “o grande problema é que ainda não temos um medicamento que cure ou uma vacina que imunize contra a COVID-19. Por isso, precisamos combater esse perigo da melhor forma possível, com as armas que a gente possui no momento. Temos que trabalhar como se todos estivessem infectados. Essa é uma forma de autocuidado que só gera benefícios. ”

Sobre a biossegurança

Em tradução literal, significa ‘segurança da vida’. Ou seja: trata-se de uma proteção alcançada a partir de um conjunto de ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos inerentes às atividades, que possam comprometer as saúdes humana e animal, assim como o meio ambiente.

Riscos X odontologia

São três os tipos de riscos aos quais o cirurgião-dentista está exposto: biológico, químico e físico. Agora, a maior preocupação é em relação ao biológico, por conta do novo coronavírus. E isso se intensifica nos consultórios, devido à grande prevalência de aerossois, que ficam presentes no ar durante muito tempo. “Por esse motivo, devemos, mais do que nunca, retomar as questões voltadas à biossegurança”, enfatiza Montalli. Lembrando, ainda, que, além de lavar bastante as mãos, é preciso cuidar das vias aéreas também.

Cuidados necessários

Por conta do momento que vivenciamos, o cirurgião-dentista precisa acrescentar alguns EPIs como uniforme obrigatório. São eles: respirador N95 ou PFF2 – única forma de prevenção contra o aerossol –, óculos de proteção com vedação lateral, gorro e luvas descartáveis, jaleco de TNT (gramatura 40, por ser considerado impermeável) e com fechamento nas costas.

Para prolongar a utilização do mesmo respirador e evitar que molhe, é indicado colocar a máscara cirúrgica por cima. E a face shield, se acrescentada, serve para proteger das gotículas. Por fim, é preciso lavar as mãos com sabão sempre que possível e, principalmente, ao descartar as luvas, entre um paciente e outro.

Vale destacar, ainda, que tanto o jaleco de TNT gramatura 40 como o respirador podem ser utilizados ao longo de um dia inteiro. Já os demais itens devem ser descartados ou higienizados após cada atendimento. Logicamente, também é preciso fazer o descarte correto dos resíduos. E mais: o respirador com válvula não é recomendado, pois se o dentista estiver com o vírus, ele vai passar a doença para outras pessoas.

Já no caso do paciente, é apropriado que, ao chegar no consultório, escove os dentes, lave o rosto e utilize o enxaguante bucal com digluconato de clorexidina 0,12%. E, antes do atendimento, que coloque o gorro e o babador descartáveis, assim como os óculos de proteção.

 

Sobre a I Reunião On-line de Odontologia e COVID-19

O intuito desse evento on-line, promovido pela UFPE – Universidade Federal de Pernanbuco e totalmente gratuito, foi esclarecer os principais questionamentos da odontologia em relação à COVID-19. E, consequentemente, ajudar a classe odontológica a atuar de forma mais segura. A organização foi dos professores Dra. Marianne de Vasconcelos Carvalho (UPE), Dr. Gustavo Pina Godoy (UFPE) e MSc. Sérgio Henrique Gonçalves de Carvalho (UEPB).

 

Não conseguiu assistir ao vivo?

As apresentações do dia 3 de junho podem ser acessadas via Youtube, no seguinte endereço: https://www.youtube.com/watch?v=-gvGqY0FV1k .

 

Sem Comentários

Deixe um comentário

X