Protocolo de planejamento virtual para cirurgias ortognáticas é testado em estudo

Protocolo de planejamento virtual para cirurgias ortognáticas é testado em estudo

Um estudo realizado na Faculdade São Leopoldo Mandic, em Campinas, comparou o tradicional protocolo de planejamento para cirurgias ortognáticas, denominado CASS, com uma versão modificada do mesmo. O objetivo foi apontar a previsibilidade e confiabilidade de ambos no que diz respeito às cirurgias ortognáticas.  De acordo com Flávio Wellington da Silva Ferraz, aluno do Mestrado em Ortodontia e responsável pela pesquisa, foram operados 21 pacientes, que constituíram dois grupos, cada grupo utilizando um tipo de protocolo. Como resultado principal deste estudo, notou-se que os dois protocolos são previsíveis e confiáveis.

O planejamento virtual para cirurgia ortognática baseado em tomografias computadorizadas tornou esse procedimento muito preciso e previsível. O protocolo CASS tornou esse tipo de planejamento usual pela substituição dos dentes da tomografia por dentes dos modelos de gesso escaneados além de posicionar corretamente o crânio para a simulação cirúrgica. Com o objetivo de simplificar o protocolo CASS e incorporar novas tecnologias como o escaneamento intraoral ao método, os autores compararam os resultados cirúrgicos dos pacientes operados por cirurgía ortognática bimaxilar planejadas com o protocolo CASS e com o protocolo CASS modificado. Os resultados mostraram que as modificações propostas mantiveram a previsibilidade e precisão alcançadas pelo protocolo CASS tornando-o mais acessível e atual.

A pesquisa apontou ainda algumas especificidades de cada protocolo. No que diz respeito aos padrões atestados na literatura científica como ideais para atingir o sucesso de uma cirurgia ortognática, ambos os protocolos apresentaram acurácia. Já em relação ao posicionamento da mandíbula, o protocolo CASS modificado foi superior em precisão, com variações estatisticamente significantes. Por fim, a segurança do procedimento é melhor percebida em casos que utilizaram o protocolo CASS modificado.

O fato do protocolo modificado ter apresentado melhores resultados está associado ao uso de novas tecnologias, como explica o Prof. Dr. Maurício de Almeida Cardoso, orientador do estudo. “A busca por métodos que permitam a execução de uma cirurgia cada vez mais segura e previsível é de grande importância na vida clínica do cirurgião bucomaxilofacial. Por outro lado, novas tecnologias têm sido incorporadas ao planejamento, na tentativa de diminuir o tempo de planejamento, torná-lo mais acessível, mais preciso e previsível”. Para os pesquisadores, os resultados deste estudo se somam a outros da literatura, que buscam aprimorar as técnicas utilizadas em procedimentos ortodônticos, oferecendo aos pacientes resultados cada vez mais previsíveis.

 

Cirurgias Ortognáticas

As cirurgias para correção das deformidades da face, como queixo longo ou curto, são denominadas ortognáticas. Para serem executadas, precisam de um planejamento minucioso, realizado em computador, que é baseado no exame de tomografia computadorizada e na moldagem digital dos dentes, por meio de escâneres. A forma de se realizar a tomografia e o escaneamento da boca é definida por protocolos estabelecidos pela comunidade científica.

Sobre o Instituto e Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic

O Instituto e Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic, em Campinas, foi constituído em janeiro de 2004, sem fins lucrativos, para realizar pesquisas na área de saúde, desenvolvimento de novas tecnologias, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnico-científicos, fomento à capacitação e treinamento de pesquisadores.

Conta com laboratórios de Cultura de Células, Microbiologia, Ensaio de Materiais, Patologia e Imunohistoquímica, Biologia Molecular e Terapia Celular, todos equipados com recursos de última geração. Até dezembro de 2018, foram 981 artigos publicados em revistas científicas indexadas em diferentes bases de dados, como PubMed e Scielo. O Laboratório de Patologia Bucal emitiu, gratuitamente, mais de 26 mil laudos de biópsias provenientes de tecidos da região, sendo 1.657 de carcinomas e 125 de outras neoplasias malignas, atendendo não só pacientes da região como de outros estados do Brasil e atualmente, recebe também material proveniente da África, especificamente de Angola.

Os recursos financeiros do Instituto e Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic para a realização de suas pesquisas são obtidos por meio de fomento direto pela Faculdade São Leopoldo Mandic, parcerias e convênios com empresas, contribuição de associados e em especial por fomentos obtidos pelos docentes do Centro através dos órgãos públicos como CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

 

1Comentário

Deixe um comentário

X