Alunos do curso de Medicina realizam II CONAC na São Leopoldo Mandic

Alunos do curso de Medicina realizam II CONAC na São Leopoldo Mandic

Estudantes de todos os períodos do curso de Medicina, da Faculdade São Leopoldo Mandic, em Campinas, estiveram reunidos neste sábado, dia 13 de abril, para o II CONAC (Congresso Acadêmico de Cirurgia), que trouxe profissionais de diversas áreas da cirurgia para discutir temas importantes e apresentar casos clínicos.

Lais Raphaelli Caramel, presidente do Congresso, conta que o evento foi organizado pelos próprios alunos da Faculdade, interessados em buscar aprofundamento no tema Cirurgia. “Trouxemos profissionais renomados de várias instituições para compartilhar experiências e conhecimento”, disse a aluna.

Trauma

A primeira palestra do dia foi ministrada pelo Dr. Mário Eduardo Mantovani, especialista em Cirurgia do Trauma e Cirurgia Avançada pela Unicamp. Ele falou sobre condutas emergenciais em pacientes traumatizados, apresentando casos clínicos. Os alunos presentes na plateia interagiram o tempo todo, com sugestões de condutas para os casos apresentados. A necessidade de fazer ou não cirurgia para tratar o paciente com trauma foi o foco das discussões.

Cirurgia de catarata

“Cirurgia de Catarata” foi o tema da palestra do Dr. Kleyton Barella, oftalmologista do Instituto Penido Burnier, que falou sobre a definição do termo catarata, história e evolução dos tratamentos, a importância da cirurgia, sinais e sintomas da doença, diagnóstico, classificação, exames oftalmológicos, tipos de lentes e os avanços tecnológicos futuros. “O oftalmologista será o último a ser substituído pela robótica”, disse Barella referindo-se ao futuro das cirurgias oftalmológicas.

Rinoplastia

Durante o Congresso, uma mesa redonda sobre Rinoplastia trouxe os convidados Dr. Rodrigo Gimenez, cirurgião-plástico e professor da SLMANDIC, Dr.a Juliana Staut, especialista em cirurgia estética, e o otorrinolaringologista Dr. Tiago Ferreira. Eles falaram sobre simetria e proporção como conceitos de beleza facial, estrutura nasal e tipos de rinoplastia e cirurgia funcional do nariz, apresentando casos clínicos. O professor Gimenez encerrou a palestra com a afirmação de que “nenhuma cirurgia é simples, toda cirurgia precisa de muitos cuidados”. Dr.a Juliana enfatizou que “a cirurgia de nariz é muito delicada, sem dúvidas uma das mais difíceis de serem feitas”.

Neurocirurgia

“Manejo de tumor cerebral em áreas eloquentes” foi a palestra do neurocirurgião Dr. Marcos Stávale, que mostrou como são feitas as cirurgias para remoção de gliomas e suas metástases. Ele falou sobre a realidade da neurocirurgia contemporânea e afirmou que hoje a agressividade dessas cirurgias pode ser mínima, sinalizando que o trauma cirúrgico pode ser tornar apenas um mito. “O trauma cirúrgico diminuiu muito nos últimos tempos por causa da tecnologia, da microscopia e da preservação vascular”, disse Stávale.

Stávale também afirmou que os gliomas nem sempre precisam ser removidos. “É preciso avaliar caso a caso e nem sempre a cirurgia é um caminho necessário, pensando sempre na preservação da qualidade de vida do paciente. Por outro lado, uma cirurgia pode proporcionar alguns meses a mais de vida e isso significa muito na vida de uma pessoa”, ponderou o médico.

Homenagem

O II CONAC também teve seu momento de homenagear o urologista e professor da São Leopoldo Mandic, Dr. Renato Nardi Pedro. Muito emocionado, o cirurgião agradeceu aos alunos e falou da importância desta homenagem na carreira dele.

Em sua palestra, Nardi falou sobre o tratamento endourológico dos cálculos renais, que são hoje minimamente invasivos. O urologista também explanou sobre os fatores de risco para cálculo renal, prevalência e tipos de tratamento, enfatizando as opções de técnicas cirúrgicas (litotripsia extracorpórea, ureterorenoscopia flexível e nefrolitotomia percutânea).

Cirurgia de adequação sexual

Para falar sobre “Cirurgia de Adequação Sexual em Pacientes Transgênero” foi convidado o Dr. Rodrigo Itocazo, cirurgião plástico e médico assistente do Departamento de Endocrinologia do Hospital das Clínicas da USP.

“É importante não banalizar o problema por causa do preconceito”, falou Dr. Rodrigo para iniciar a sua palestra. Ele enfatizou que a cirurgia de adequação sexual faz parte de uma política de controle de danos, pois diminui os casos de automutilação e os índices de suicídio que afetam os pacientes transgêneros.

Ele também falou sobre a legislação e a normatização do atendimento ao paciente transgênero no Brasil e todos os tipos de tratamento cirúrgico para adequação sexual.

Transplante cardíaco pediátrico

Dr. Marcelo Jatene foi o último convidado a ministrar palestra no Congresso. Ele é cirurgião cardíaco pediátrico do Incor (Instituto do Coração) da USP e mostrou o histórico de transplantes cardíacos pediátricos, os centros existentes no Brasil e no mundo que fazem esse tipo de transplante, suas principais indicações e a sobrevida dos pacientes transplantados.

Jatene expôs quais são as principais complicações desse tipo de cirurgia e quais são os procedimentos e as maiores dificuldades para a captação de órgãos. E ainda falou sobre a importância da assistência circulatória mecânica cardíaca e pulmonar, para que os pacientes possam esperar por mais tempo um transplante.

Para a Dr.a Fabiana Succi, coordenadora adjunta do curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic, o CONAC é importante porque os temas apresentados são relevantes e despertam o interesse dos alunos por áreas específicas. “O Congresso mistura palestrantes da nossa Faculdade com palestrantes de fora, o que enriquece a partilha de conhecimentos”.

Tags:
Sem Comentários

Deixe um comentário

X