Pesquisadora da SLMANDIC apresenta trabalho de pesquisa em Congresso na Espanha

Pesquisadora da SLMANDIC apresenta trabalho de pesquisa em Congresso na Espanha

A pesquisa “MTA e Biodentine® para a realização de pulpotomias de dentes decíduos: revisão sistemática e meta-análise de estudos clínicos” foi apresentada na XL Reunião Anual da Sociedade Espanhola de Odontopediatria, VIII Reunião Anual da Sociedade Portuguesa de Odontopediatria e III Reunião Ibérica Odontopediatria, realizada em Palma de Maiorca, na Espanha no período de 17 a 19 de maio de 2018.

 

O trabalho foi desenvolvido em parceria científica entre a Faculdade São Leopoldo Mandic e a Universidade Barcelona, na Espanha, com a participação da professora Luciana Butini Oliveira, do aluno de pós-doutorado Emyr Stringhini Junior, da doutoranda Manuela Gouvêa Campêlo dos Santos, da Faculdade São Leopoldo Mandic, e da pesquisadora Montse Mercadé, professora do departamento de Odontologia da Universidade de Barcelona.

A Biodentina é um novo cimento de silicato de cálcio que, recentemente, foi introduzido no mercado de produtos odontológicos e é indicado para procedimentos restauradores e tratamento endodôntico (tratamento de canal).

Algumas pesquisas clínicas têm demonstrado que a Biodentina pode ser utilizada clinicamente para pulpotomias (tratamento de canal) de dentes decíduos. Em breve, esse material será comercializado no Brasil.

Segundo a pesquisadora Luciana Butini, “o propósito do estudo foi realizar a revisão sistemática e meta-análise de estudos clínicos já publicados na literatura científica, para comparar o êxito clínico e radiográfico das pulpotomias em dentes decíduos realizadas com Biodentina em relação às pulpotomias realizadas com MTA – mineral trioxide aggregate, (Agregado Trióxido Mineral), considerado material padrão-ouro”. Foram realizadas buscas bibliográficas em bases de dados até fevereiro de 2018.

Butini conta que os resultados demonstraram que, dos 237 estudos encontrados na literatura, apenas 9 se enquadraram nos critérios de inclusão do estudo e foram considerados na revisão sistemática. Não houve diferença nas taxas de sucesso clínico e radiográfico entre os dois materiais avaliados nos períodos de avaliação (6, 12 e 18 meses). “Pode-se concluir que não existe superioridade de um material sobre o outro, MTA e Biodentine®. Como vantagens, a Biodentina apresenta custo mais baixo em relação ao MTA e não provoca alteração de cor (escurecimento) do dente em decorrência do tratamento endodôntico”, explica a pesquisadora da São Leopoldo Mandic.

 

 

 

 

 

 

Sem Comentários

Deixe um comentário

X